Domingo, 15 de Setembro de 2019

Máx: 27º

Min:16º

Nos acompanhe nas
mídias sociais

Mídia / Notícias

SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO

10 de Maio

Médicos e Enfermeiros das UBS's participam de capacitação sobre Hanseníase

Os médicos e Enfermeiros das 11 Unidades Básica de Saúde do município participaram nesta segunda-feira (8) de uma Capacitação sobre Hanseníase. A Secretaria Municipal de Saúde registrou aumento de casos no município e está preparando os profissionais de saúde para combater.  

 

A doença é curável, mas se não tratada pode ser preocupante. Afeta primordialmente a pele, mas pode afetar também os olhos, os nervos periféricos e, eventualmente, outros órgãos.

 

Em conversa, a Secretária Municipal de Saúde Silvanete Andrade explicou: “A transmissão se dá através de contato íntimo e contínuo com o doente não tratado. Apesar de ser uma doença da pele, é transmitida através de gotículas que saem do nariz, ou através da saliva do paciente”, disse. Ainda segundo a Secretária, não há transmissão pelo contato com a pele do paciente.

 

 

DIAGNÓSTICO

 

O diagnóstico da hanseníase é feito pelo dermatologista, e envolve a avaliação clínica do paciente, com aplicação de testes de sensibilidade, palpação de nervos, avaliação da força motora etc. Se o dermatologista desconfiar de alguma mancha ou ferida no corpo do paciente, poderá fazer uma biópsia da área ou pedir um exame laboratorial para medir a quantidade de bacilos. O exame identifica se a hanseníase é paucibacilar, com pouco ou nenhum bacilo; ou multibacilar, com muitos bacilos.

 

É importante lembrar que a hanseníase é uma doença totalmente curável, e não há motivo para preconceito. É importante ficar atento aos sinais e procurar o dermatologista, ele prescreverá o tratamento adequado.

 

 

TRATAMENTO

 

O Tratamento é gratuito e fornecido pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Antibióticos são usados para tratar as infecções, mas o tratamento completo é em longo prazo. Nas formas mais brandas (paucibacilar) demora em torno de seis meses, já nas formas mais graves (multibacilar) o tempo é de um ano ou mais.

 

Há alguns medicamentos específicos e combinações que são prescritas pelo médico. Alguns não podem ser tomados por grávidas, por isso avise o médico em caso de gravidez.

 

É fundamental seguir o tratamento, pois é eficaz e permite a cura da doença, caso não seja interrompido. A primeira dose do medicamento já garante que a hanseníase não será transmitida.

 

 

PREVENÇÃO

 

A melhor forma de prevenir a doença é mantendo o sistema imunológico eficiente. Ter boa alimentação, praticar atividade física, manter condições aceitáveis de higiene também ajudam a manter a doença longe, pois, caso haja contato com a bactéria, logo o organismo irá combatê-la.

 

Outra dica importante é convencer os familiares e pessoas próximas a um doente a procurarem uma Unidade Básica de Saúde para avaliação, quando for diagnosticado um caso de hanseníase na família. Dessa forma, a doença não será transmitida nem pela família nem pelos parentes próximos e amigos.

 

 

Fonte: Assessoria de Comunicação | Secretaria de Saúde